O filme é um dos selecionados para a 9ª Mostra Competitiva Nacional de Longas do 26º Festival de Cinema de Vitória, que acontece entre os dias 24 e 29 de setembro no Centro Cultural Sesc Glória

O Brasil é o país que mais mata pessoas trans o mundo. Essa realidade alarmante, divulgada em 2018 pela ONG Transgender Europe (TGEU), foi um dos impulsos para que o diretor Gil Baroni realizasse “Alice Júnior”. O filme é um dos selecionados para a 9ª Mostra Competitiva Nacional de Longas do 26º Festival de Cinema de Vitória, que acontece entre os dias 24 e 29 de setembro no Centro Cultural Sesc Glória.

O filme narra a história de Alice, uma youtuber que vê seu mundo virar de cabeça para baixo ao se mudar com o pai para uma pequena cidade no Sul do Brasil. Como qualquer adolescente, ela irá enfrentar desafios para se adaptar, conhecer novas pessoas, se acostumar à uma nova escola… e claro, dar o primeiro beijo!

Porém, Alice é uma menina trans, e além de todas as situações típicas da adolescência, ela também precisa enfrentar o preconceito. “O primeiro beijo é algo tão bonito e simples, uma conquista de todo ser humano quando passa pela jornada de maturação e começa a compreender sua independência e importância no mundo. Parece simples contar a história do primeiro beijo na adolescência. No entanto, a complexidade nasce quando esse primeiro beijo acontece com um corpo trans”, narra o diretor Gil Baroni.

Segundo Gil, o filme é uma forma de inspiração para os que continuam resistindo e quebrando paradigmas tóxicos à humanidade: “É um estímulo para as pessoas que estão descobrindo a relevância de seus corpos como são. É sobre o triunfo do amor, do autoconhecimento, da amizade e da família”.

A atriz que interpreta Alice,  Anne Celestino Mota, é trans, e segundo o diretor, ensinou muito sobre a resistência dos corpos numa sociedade que impõe padrões e rejeita a diversidade das existências humanas. “O filme foi produzido com a parceria de amigas e amigos que acreditaram na essência da história: uma garota transexual que quer dar o primeiro beijo, ser feliz e viver as experiências da adolescência sem ser rotulada e reprimida”, completa o realizador.

Alice Júnior será exibido durante a 9ª Mostra Competitiva Nacional de Longas, que faz parte da programação do 26º Festival de Cinema de Vitória e acontece entre os dias 24 e 29 de Setembro no Centro Cultural Sesc Glória, Hotel Senac Ilha do Boi e Cine Metrópolis.

O 26º Festival de Cinema de Vitória tem o patrocínio do Ministério da Cidadania, através da Lei de Incentivo à Cultura, da ArcelorMittal, do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA e da Ancine com o apoio da Rede Gazeta, da Prefeitura Municipal de Vitória e da Secretaria de Estado de Turismo (Setur-ES). O Festival conta também com o apoio institucional do Centro Técnico do Audiovisual – CTAv, da Mistika, da CiaRio, da Link Digital, do Centro Cultural Sesc Glória, da Jangada VOD, do Canal Brasil e da Carla Buaiz Jóias. A realização é da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte.

Serviço:
9ª Mostra Competitiva Nacional de Longas
Data: 24 a 29 de Setembro
Local: Teatro Glória (Centro Cultural Sesc Glória)  
Entrada franca 

ALICE JÚNIOR (Gil Baroni, FIC, PR)
Alice Júnior é uma youtuber trans cercada de liberdades e mimos. Depois de se mudar com o pai para uma pequena cidade, onde a escola parece ter parado no tempo, a jovem precisa sobreviver ao ensino médio e ao preconceito para conquistar seu maior desejo: dar o primeiro beijo.