A mostra contempla exclusivamente a produção de cineastas negros e negras, sendo janela para um cinema com muita potência e narrativas indispensáveis para debater a temática da negritude.

No Brasil, segundo dados do IBGE, a população negra constitui mais de 50% da população. Ainda assim, o que é produzido na televisão, cinema, teatro e em outras formas de arte, apresenta narrativas criadas, em sua maioria, por e para pessoas brancas. Com a realização da Mostra Cinema e Negritude, o Festival de Cinema de Vitória contempla exclusivamente a produção de cineastas negros e negras pelo quarto ano consecutivo, sendo janela para um cinema com muita potência e narrativas indispensáveis para debater a temática da negritude.

A mostra, que acontece no dia 26 de Setembro, no Centro Cultural Sesc Glória, irá exibir cinco filmes, selecionados dentre os 198 filmes inscritos por realizadores e realizadoras negras. São eles: Santos Imigrantes, de Thiago Amepreta; Kairo, de Fábio Rodrigo; Do Dia em Que Mudamos a Rota, de Diego Nunes; Sem Asas, de Renata Martins; e Motriz, de Tais Amordivino.

A seleção foi feita pelo jornalista Leonardo Vais e pela gestora cultural Thaís Souto Amorim. Segundo a comissão, a seleção de curtas-metragens busca apresentar uma narrativa que valorize os filmes dentro das suas individualidades, tanto técnica quanto esteticamente, apresentando os pontos de convergência e as particularidades do povo preto por meio do audiovisual. 

Os temas abordados pelos selecionados deste ano passam por assuntos como religião, pertencimento, violência, saudade e sororidade. “Considerando-se a variedade de saberes apresentados nesses filmes, é possível transcender a simples utilização do cinema como estímulo audiovisual, mas como uma ferramenta que ilustra e reflete a realidade”, concluem os responsáveis pela seleção dos filmes.

O 26º Festival de Cinema de Vitória tem o patrocínio do Ministério da Cidadania, através da Lei de Incentivo à Cultura, da ArcelorMittal, do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA e da Ancine com o apoio da Rede Gazeta, da Prefeitura Municipal de Vitória e da Secretaria de Estado de Turismo (Setur-ES). O Festival conta também com o apoio institucional do Centro Técnico do Audiovisual – CTAv, da Mistika, da CiaRio, da Link Digital, do Centro Cultural Sesc Glória, da Jangada VOD, do Canal Brasil e da Carla Buaiz Jóias. A realização é da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte.

Serviço:
4ª Mostra Cinema e Negritude
Data: 26/09
Local: Centro Cultural Sesc Glória  
Entrada franca 

Conheça a Seleção de Filmes:

– SANTOS IMIGRANTES (Thiago Amepreta, FIC, SP) 

SANTOS IMIGRANTES (Thiago Amepreta, FIC, SP)
SANTOS IMIGRANTES (Thiago Amepreta, FIC, SP)

Santos Imigrantes é um curta independente que conta com a participação do ator Weslley Baiano e lida com as religiões de matriz africana no Brasil a partir da presença marcante do orishá Exú como um personagem. Você já ouviu a palavra de Exú hoje?

– KAIRO (Fabio Rodrigo, FIC, SP)  

KAIRO (Fabio Rodrigo, FIC, SP)
KAIRO (Fabio Rodrigo, FIC, SP)

Em uma escola na periferia de São Paulo, a Assistente social Sônia precisa retirar o garoto Kairo, de nove anos, da sala de aula para ter uma conversa difícil.

– DO DIA EM QUE MUDAMOS A ROTA (Diego Nunes, DOC, ES)

DO DIA EM QUE MUDAMOS A ROTA (Diego Nunes, DOC, ES)
DO DIA EM QUE MUDAMOS A ROTA (Diego Nunes, DOC, ES)

Um pequeno relato dos habitantes de Jardim da Penha, bairro que abraça o aeroporto de Vitória no dia em que percebemos que a rota dos voos irá mudar.

– SEM ASAS (Renata Martins, FIC, SP)

SEM ASAS (Renata Martins, FIC, SP)
SEM ASAS (Renata Martins, FIC, SP)

Zu é um garoto negro de doze anos. Ele vai à mercearia comprar farinha de trigo para a sua mãe e, na volta pra casa, descobre que pode voar.

– MOTRIZ (Tais Amordivino, DOC, BA)

MOTRIZ (Tais Amordivino, DOC, BA)
MOTRIZ (Tais Amordivino, DOC, BA)

Apesar dos olhos d’água, Bete carrega consigo um sorriso largo que entrelaça a dor, o afeto e a saudade das filhas. Despite the watery eyes, Bete carries with him a broad smile that interweaves the pain, the affection and the lack of yours daughters.