Além de coroar o Festival com sua música, a artista greco-brasileira também comandará uma oficina sobre sua experiência em workshop de Dramaterapia com mulheres refugiadas na Grécia

O 26º Festival de Cinema de Vitória já tem uma presença internacional confirmada! A multi-instrumentista, compositora e cantora Katerina Polemi será uma das atrações desta edição. Além de coroar o Festival com sua música, a artista greco-brasileira também comandará uma oficina sobre sua experiência com a Dramaterapia, através de um workshop que promove empoderamento, comunicação e cidadania para mulheres refugiadas.

Polemi já esteve no Espírito Santo em 2016, em micro-temporada de apresentações no Brasil. Na época, se apresentou com um repertório de jazz, gypsy, swing e música brasileira de vários estilos. De lá para 2019, muita coisa aconteceu na vida da artista, que foi convidada por uma amiga terapeuta para produzir workshops que ajudassem pessoas que vivenciaram situações de trauma.

“Trabalhamos exercícios de confiança, jogos e atividades com o próprio corpo ou objetos, que ajudam a construir uma conexão com o eu interior e também com outras mulheres”, explica Polemi. O workshop envolve atividades como criar narrativas (contação de histórias), desenhar emoções, produzir uma peça teatral ou utilizar somente corpo e voz como instrumento.

Segundo Katerina, o objetivo do trabalho desenvolvido é utilizar técnicas de drama e movimento para tentar conectar a pessoa com suas emoções, e também com outras mulheres que passaram pela mesma situação. “Sempre senti que a música – como todas as  formas de arte – não só pode agradar a quem ouve ou vê, mas tem o poder de mudar o interior da pessoa, de fazer ela pensar algo diferente, de sonhar e até se curar”, completa.

Para sua próxima visita em terras capixabas, a artista irá transmitir a experiência do workshop ministrado na Grécia para os participantes do Festival, mostrando o poder transformador das artes para libertar do trauma e exprimir emoção: “Através da Dramaterapia, comprovamos mais uma vez a importância das artes não só na vida de refugiados, mas na vida de cada ser humano”.

Além da oficina sobre sua experiência com a Dramaterapia, Katerina Polemi irá comandar um painel sobre Trilha Sonora na Produção Audiovisual, além de se apresentar na Tenda Musical (lounge) do 26º Festival de Cinema de Vitória, com um repertório que mistura músicas tradicionais gregas e música popular brasileira.

A Oficina Interativa

A Oficina Interativa “Dramaterapia – Experiência em workshop com refugiadas na Grécia’, que acontece no dia 26 de Setembro, às 14 Horas, no Hotel Senac Ilha do Boi, já está com inscrições abertas através do formulário disponibilizado no site. A inscrição será confirmada através da doação de 1 (um) pacote de fraldas, que deverá ser entregue na Galpão Produções.  

As doações arrecadadas serão destinadas à Associação Capixaba Contra o Câncer Infantil (ACACCI), que desenvolve uma série de ações de suporte social, econômico e psicológico voltadas para crianças e adolescentes com câncer e suas famílias. Saiba mais sobre a organização clicando aqui.

O 26º Festival de Cinema de Vitória tem o patrocínio do Ministério da Cidadania, através da Lei de Incentivo à Cultura, da ArcelorMittal, do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA e da Ancine com o apoio da Rede Gazeta e da Prefeitura Municipal de Vitória. O Festival conta também com o apoio institucional do Centro Técnico do Audiovisual – CTAv. A realização é da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte.

 

Serviço

Oficina Interativa –
“Dramaterapia” | Experiência em workshop com refugiadas, exibição do filme feito nas oficinas da Grécia.
Data: Quinta (26/09), 14 Horas, Hotel Senac Ilha do Boi
Inscrições: Formulário de Inscrições
O que é a oficina?
“Todas as formas de arte tem poder para mudar o interior de uma pessoa, fazê-la sonhar, até se curar”, explica Katerina Polemi, multi-instrumentista, compositora e cantora greco-brasileira. Através de um workshop que une princípios de terapia com técnicas de drama e movimento, constroem-se conexões e quebram-se barreiras; supera-se o medo por meio de atividades como a narrativa (contação de histórias), aprender a utilizar a voz (como um instrumento) e exercícios com o próprio corpo ou objetos que ajudem a despertar a confiança, elementos básicos para introduzir técnicas de atuação e expressão pessoal.