Aconteceu na tarde desta quinta-feira (26) o debate com os realizadores da 3ª Mostra Nacional de Cinema Ambiental.  O bate-papo foi mediado pelo crítico e jornalista Filippo Pitanga

A conversa contou com a participação do diretor Igor Matos, do filme Raízes; dos diretores Miro Soares e Gabriel Menotti, do documentário Rocha Matriz; e Eliana Santos, atriz de Sirumi

O bate-papo começou com o diretor Igor Matos falando sobre o processo criativo do curta Raízes. “Tudo começou como uma atividade da faculdade. Todo o processo de roteiro, argumentação, e a Bruna surgiu com esse argumento devido as queimadas da Amazônia e ela sugeriu esse tema e ela falou: vamos fazer uma fantasia. Vamos colocar a mãe natureza em diálogo com os humanos. Assim a gente começou o processo: elas assinam o roteiro, eu assino a direção, junto com elas, em uma direção coletiva. Em que a gente pensou tudo junto”.

Gabriel Menotti, do documentário Rocha Matriz, falou do processo colaborativo com Miro Soares, além das questões ambientais do curta. “Esse filme foi uma tentativa da gente colaborar em um processo de pesquisa conjunta, que usa a produção da imagem, que usa os processos de realização cinematográfica, quase como uma tentativa de entrar no mundo da extração mineral, que é uma indústria muito forte no ES. E talvez criar um sumário do que ela é e do que ela representa e de como ela se representa no mundo de hoje. Tem um aspecto de curiosidade sobre o assunto. Uma tentativa de se aproximar dele, mas também uma tentativa de experimentar com a linguagem do próprio cinema e do cinema documental em particular”.

Para Eliana Santos, Sirumi funciona como projeto que premonitório. “É uma ficção premonitória. O filme foi gravado em 2018 e esse ano a gente está nesse contexto da Covid-19. É uma ficção, mas o Thiago tem senso de humor apesar de tocar em questões extremamente pertinentes e importantes”.  

O 27º Festival de Cinema de Vitória conta com o Patrocínio do Ministério do Turismo, através da Lei de Incentivo à Cultura, e do Banestes. Conta com o apoio da Unimed Vitória, da Rede Gazeta, do Canal Brasil, da Stella Artois e da Suzano. Conta também com o apoio institucional do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), da Tower Web, da Dot, da Link Digital, da Mistika, da ABD Capixaba, da Carla Buaiz Jóias, do Findes, do Sesi Cultural e da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo. A realização é da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA).

Confira na íntegra o 3ª Debate da Mostra Nacional de Cinema Ambiental