Destacar a força estética e política do cinema brasileiro. Está é a proposta da 10ª Mostra Competitiva Nacional de Longas do 27º Festival de Cinema de Vitória, que acontece entre os dias 24 e 29 de novembro, em formato online, em função da pandemia do Covid-19, e segue gratuito como nas edições anteriores. 

Serão exibidos seis longas-metragens que concorrem ao Troféu Vitória e que foram selecionados a partir dos 113 inscritos. A seleção, inédita no circuito comercial, apresenta documentários e obras de ficção, de vários estados do Brasil, que traçam um panorama diverso da cultura brasileira.

A Comissão de Seleção da mostra competitiva foi realizada pelo professor e pesquisador Gilberto Alexandre Sobrinho e pela produtora cultural e jornalista Leila Bourdoukan. “A curadoria de longas-metragens buscou selecionar filmes que demonstram a força estética e política do cinema brasileiro. Para isso, selecionou narrativas em que o poder da diversidade é demonstrado em sua capacidade de articular narrativas plurais sobre corpos, subjetividades, territórios e questões étnico-raciais e sócio-políticas”.

Os longas selecionados são: Yâmiyhex: as Mulheres-Espírito, de Sueli Maxakali e Isael Maxakali; Um Dia com Jerusa, de Viviane Ferreira; O Livro dos Prazeres, de Marcela Lordy; Chico Rei entre Nós, de Joyce Prado;  Para Onde Voam as Feiticeiras, de Eliana Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral; e Pureza, de Renato Barbieri. 

A curadoria também destacou a força e o poder de reinvenção dos realizadores brasileiros. “Essa seleção evidencia um duplo aspecto inerente ao campo cinematográfico no Brasil: sua resistência e sua potencialidade em reinventar-se, ao ser assumido por diversos artistas à frente e detrás das câmeras” afirmou a dupla de curadores. 

Filmes 

O documentário Chico Rei entre Nós, conta a história do rei congolês que foi escravizado e explora os ecos da escravização no Brasil. A ficção O Livro dos Prazeres é uma livre adaptação do livro homônimo de Clarice Lispector para os dias de hoje. Para Onde Voam as Feiticeiras é um documentário sobre um grupo de artistas LGBTQIA+ que desconstrói com humor todos os conceitos pré-estabelecidos. 

A ficção Pureza, conta a história de uma mãe em busca do filho vítima de trabalho escravo no mundo contemporâneo. Um Dia Com Jerusa, narra o encontro da sensitiva Silvia com Jerusa, uma senhora de 77 anos. Já Yâmiyhex: as Mulheres-Espírito, acompanha os preparativos e a grande festa de despedida das ‘mulheres-espírito’ do título. 

Premiação e Júri  

Os filmes exibidos na 10ª Mostra Competitiva Nacional de Longas concorrem ao Troféu Vitória em seis categorias: Melhor Filme (Júri Técnico), Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Contribuição Artística e Melhor Interpretação, além do Prêmio de Melhor Filme pelo Júri Popular. 

O Júri Técnico da 24ª Mostra Competitiva Nacional de Longas é composto pela atriz Bel Kutner, a montadora Cristina Amaral e o jornalista Gustavo Cheluje. O anúncio das produções premiadas será feito durante a Cerimônia de Encerramento do 27º Festival de Cinema de Vitória.

Online 

O Festival de Cinema de Vitória é o maior e mais importante evento de cinema do Espírito Santo. Sua 27ª edição se materializa de forma diferente em 2020. Entre os dias 24 e 29 de novembro, o evento será realizado em formato online, com as mostras exibidas na plataforma InnSaei.TV, além de outras atividades, no Canal de Youtube e nas redes sociais do evento. Os filmes estarão disponíveis para o público por 24 horas, de acordo com a programação, que será divulgada em breve.

O 27º Festival de Cinema de Vitória conta com o Patrocínio do Ministério do Turismo, através da Lei de Incentivo à Cultura, e do Banestes. Conta com o apoio da Unimed Vitória, da Rede Gazeta, do Canal Brasil, da Stella Artois e da Suzano. Conta também com o apoio institucional do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), Tower Web, Dot, Link Digital, Mistika, ABD Capixaba, Carla Buaiz Jóias e da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo. A Realização é da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA).

27º Festival de Cinema de Vitória
10ª MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE LONGAS

PUREZA (FIC, 101’, DF), de Renato Barbieri

Pureza é um filme sobre uma mulher muito simples do interior do Brasil, que se vê obrigada a se lançar no mundo em uma perigosa jornada para tentar encontrar seu filho, vítima do trabalho escravo contemporâneo em uma fazenda nas profundezas da Amazônia. Classificação indicativa: 12 anos.

YÃMĨYHEX: AS MULHERES-ESPÍRITO (DOC, 76’, MG), de Sueli Maxakali e Isael Maxakali

Após passarem alguns meses na Aldeia Verde, as yãmĩyhex (mulheres-espírito) se preparam para partir. Os cineastas Sueli e Isael Maxakali registram os preparativos e a grande festa para sua despedida. Durante os dias de festa, uma multidão de espíritos atravessa a aldeia. As yãmĩyhex vão embora, mas sempre voltam com saudades dos seus pais e das suas mães. Classificação indicativa: 12 anos.

UM DIA COM JERUSA (FIC, 74’, SP), de Viviane Ferreira

Um Dia com Jerusa conta o encontro da sensitiva Silvia, uma jovem pesquisadora de mercado que enfrenta as agruras do subemprego enquanto aguarda o resultado de um concurso público, e da graciosa Jerusa, uma senhora de 77 anos, testemunha ocular do cotidiano vivido no bairro do Bixiga, recheado de memórias ancestrais. No dia do aniversário de Jerusa, enquanto espera sua família para comemorar, o encontro entre suas memórias e a mediunidade de Silvia lhes proporciona transitar por tempos e realidades comuns às suas ancestralidades. Classificação indicativa: 14 anos.

O LIVRO DOS PRAZERES (FIC, 99’, RJ), de Marcela Lordy

O Livro dos Prazeres é uma livre adaptação do romance de Clarice Lispector para os dias de hoje. Um drama erótico, baseado num jogo de sedução, numa época de amores líquidos e apatia emocional, que conta a história do encontro de Lóri e Ulisses e seus desafios pessoais na aceitação do amor. Professora do ensino fundamental, melancólica e reservada, Lóri vive só. Uma rotina monótona entre as tarefas da escola e relacionamentos furtivos, que evidenciam sua dificuldade em construir relações com afeto. Num acaso, ela conhece Ulisses, um reconhecido professor de filosofia, argentino egocêntrico e provocador, mas que ainda não entendeu nada sobre as mulheres. É com ele que Lóri aprende a amar enfrentando sua própria solidão. Classificação indicativa: 18 anos.

CHICO REI ENTRE NÓS (DOC, 94’, SP), de Joyce Prado

Chico Rei foi um rei congolês que foi escravizado e se libertou e aos seus súditos durante o Ciclo de Ouro em Minas Gerais. Sua história é o ponto de partida para explorar os vários ecos da escravidão brasileira na vida das pessoas negras dos dias de hoje, entendendo seu movimento de autoafirmação e liberdade a partir de uma perspectiva coletiva. Classificação indicativa: Livre.

PARA ONDE VOAM AS FEITICEIRAS (DOC, 89’, SP), de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral

Para Onde Voam as Feiticeiras acompanha a deriva de encenações e improvisos de sete artistas pelas ruas do centro de São Paulo, em uma experiência cinematográfica que torna visível a persistência de preconceitos arcaicos de gênero e raça no imaginário comum. No centro desta narrativa polifônica, está a importância da resistência política através das alianças de luta comum entre coletivos LGBTQIA+, negritude, indígenas e trabalhadores sem teto. Classificação indicativa: 14 anos.

27º Festival de Cinema de Vitória 
Quando: 24 a 29 de novembro
Local: InnSaei.TV, Youtube e Redes Sociais do FCV
Online e Gratuito