O melhor da animação nacional em uma seleção de dez curtas que irão concorrer ao Troféu Vitória de Melhor Animação pelo voto do júri popular. Acima, imagem da animação A Noiva do Coelhinho”, de Rafael Franco


Animações de qualidade, produzidas em diversas regiões brasileiras, terão espaço próprio no 23º Festival de Cinema de Vitória com a 3ª Mostra de Animação. O público irá assistir a uma seleção de filmes desse gênero produzidos nos últimos dois anos no Brasil. Dez produções vindas de Goiás, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Paraíba, São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro irão concorrer ao Troféu Vitória de Melhor Animação escolhido pelo voto do júri popular. Exibidos em sessão única, a 3ª Mostra de Animação acontece no Teatro Carlos Gomes, na segunda-feira (14), às 14h. A entrada é gratuita.


Os curtas-metragens selecionados trazem para o espectador um panorama das variadas técnicas e estilos de animação. Nessas obras, será possível verificar como os animadores brasileiros combinam aparatos tecnológicos e muita criatividade, revelando o quão democrática é essa arte.


A curadora da 3ª Mostra de Animação, a programadora audiovisual Rosemeri Barbosa, acredita que a mostra confirma o Festival de Cinema de Vitória como um “espaço convidativo à inventividade, pois a animação tem uma capacidade de nos levar além. Um universo onde o autor cria seu personagem em forma única, lhe dando vida e história. Dessa forma, nossos animadores fazem, com técnicas diversas, um mundo sem igual que nos provoca emoções, reflexões e até lágrimas, independente da idade”.


Ainda segundo Rosemeri Barbosa, a 3ª Mostra de Animação é um meio de valorização deste gênero do cinema brasileiro: “somos capazes, criativos, competentes e devemos nos orgulhar e respeitar nossos animadores brasileiros, criadores maravilhosos com inspiração que vem da alma e do coração”, comenta.


Sobre os filmes 

Este ano a 3ª Mostra de Animação exibirá filmes que foram produzidos em várias regiões do Brasil. Um deles é a produção mineira “A Orelha de Van Gogh”, de Thiago Franco. A animação é uma adaptação do conto literário homônimo de Moacyr Scliar. Já “A Noiva do Coelhinho”, do diretor goiano Rafael Franco, é uma adaptação do conto homônimo dos Irmãos Grimm que conta a história de uma criança que enfrenta o medo do coelho da horta com ajuda de sua mãe.


Fazem parte da dessa Mostra a produção a produção paulista “Say I Am Only Seveteen”, de André Catoto Dias e “Quando os Dias Eram Eternos”, de Marcus Vinícius Vasconcelos e a série carioca de animação adulta “O Último Engolervilha II”, de Marão, Yurii Custodio, Jackson Abacatu, Wesley Rodrigues, Luah Garcia, Pamella Araújo, Camila Kauling, Guto BR, Rüsben, Ianah Maia, Giovanna Guimarães, Jirair Garabedian, Rosana Urbes e Maurício Castaño.


Filme amplamente premiado no 24º Anima Mundi, encerrado no último domingo (30), no Rio de Janeiro, a produção capixaba “O Projeto do Meu Pai”, de Rosária, traz um roteiro centrado em confissões autobiográficas da diretora. Animadora radicada no Espírito Santo, Rosária levou os prêmios de Melhor Curta do Festival e Melhor Curta Brasileiro pelo Júri Popular e ainda recebeu o Prêmio do Canal Brasil. No 23º Festival de Cinema de Vitória, “O Projeto do Meu Pai” também será exibido na 5ª Mostra Foco Capixaba e  17º Festivalzinho de Cinema.


Completam a seleção a animação baiana “Essa Moça”, de Rafael Jardim, “Mundo de Wander”,  de Lisandro Santos, produzido em Rio Grande do Sul; “O Diário de Uma Terra Chamuscada”, animação da Paraíba, dirigida por Vinícius Angelus e “O Ex-Mágico”, produção pernambucana de Olímpio Costa e Maurício Nunes.


Uma realização da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA), o 23º Festival Cinema de Vitória acontecerá entre os dias 14 e 19 de novembro, em Vitória-ES. Maior evento de cinema do Espírito Santo, o Festival conta com uma extensa programação de exibições, lançamentos, oficinas, debates, homenagens e premiações. Todas as atividades são abertas ao público.

 

3ª MOSTRA DE ANIMAÇÃO

23º Festival de Cinema de Vitória

SEGUNDA-FEIRA (14 de novembro), às 14 Horas

Teatro Carlos Gomes – Centro de Vitória


ENTRADA FRANCA


“A Noiva do Coelhinho” (Animação, 11’, GO), de Rafael Franco. Maria José tem muito medo do coelho da horta, mas sua mãe insiste que ela deve enfrentá-lo. Adaptação do conto homônimo dos Irmãos Grimm.


“A Orelha de Van Gogh” (Animação, 10’48’’, MG), de Thiago Franco. Adaptado do conto literário homônimo de Moacyr Scliar, retirado do livro A orelha de Van Gogh: contos, publicado em 1989, pela Cia das Letras. O filme conta a história de um proprietário de um armazém e seu filho, que acompanha de perto os planos mirabolantes inventados pelo pai para conseguir o perdão de uma grande dívida, cujo credor é admirador incondicional do pintor Van Gogh.


“Essa Moça” (Animação, 1′, BA), de Rafael Jardim. Num passeio, em meio a cantadas machistas e ofensivas, uma moça encontra o amor verdadeiro.


“Mundo de Wander” (Animação, 11’, RS), de Lisandro Santos. Wander, um jovem pai de trigêmeos pestinhas está, pela milionésima vez, em uma entrevista de emprego. A cada pergunta, Wander relembra uma fase da sua vida, onde somos apresentados aos seus avós superprotetores, o seu inseparável amigo Leo e até à sua primeira (e única) fã, a maluca Juju, que vive o perseguindo. Cada história serve para montar o que ele mesmo chama de “Mundo de Wander”.


“O Diário de Uma Terra Chamuscada” (Animação, 4’, PB), de Vinícius Angelus. Gorrinho é um menino que só quer saber de tocar sua guitarra! Tudo muda quando uma dupla de Alienígenas resolve lhe dar uma importante missão.


“O Ex-Mágico” (Animação, 11’, PE), de Olímpio Costa e Maurício Nunes. Com misteriosos poderes, o ex-mágico, sem passado e sem paciência com o mundo vai em busca de uma maneira de libertar-se das angústias que seus dons mágicos causaram em sua vida.


say-i-am-only-seventeen_3“Say I Am Only Seveteen” (Animação, 9’, SP), de André Catoto Dias. Inspirado na estética da obra de Paul Nash, e no poema “Dulce et decorum est” de Wilfred Owen, o curta metragem Say I am only seventeen se alicerça em torno da história real de um menino menor de idade chamado Stephen Brown que em 1914 se alista no exército britânico, mas quando chega à linha de frente se arrepende e, machucado, manda uma carta para sua mãe pedindo para avisar ao seu comandante que ele tinha somente dezessete anos, e assim não voltaria ao fronte.


“O Projeto do Meu Pai” (Animação, 5’39’’, ES), de Rosaria Ferreira. Eu tenho um amigo que diz que a gente precisa desenhar uma mesma coisa mil vezes, até ela ficar do jeito que a gente acha que é.


o-ultimo-engolervilha-ii_1“O Último Engolervilha II” (Animação, 13’, RJ), de Marão, Yurii Custodio, Jackson Abacatu, Wesley Rodrigues, Luah Garcia, Pamella Araújo, Camila Kauling, Guto BR, Rüsben, Ianah Maia, Giovanna Guimarães, Jirair Garabedian, Rosana Urbes e Maurício Castaño. Engolervilha é uma série de animação para adultos de mau gosto que existe desde 2003.


“Quando os Dias Eram Eternos” (Animação, 12’, SP), de Marcus Vinícius Vasconcelos. Filho retorna à sua casa de infância para cuidar da mãe em seus últimos dias de vida.