Oficinas

Oficina de Crítica Cinematográfica

Oficina de Crítica Cinematográfica

Na oficina, os participantes terão a chance de conhecer uma introdução ao pensamento crítico e às possibilidades de olhar, refletir sobre a sétima arte. A partir de atividades práticas e teóricas, os alunos serão estimulados a desenvolverem sua capacidade de se relacionar criticamente com os filmes. Para tanto, a partir de exibições de obras e de leitura de textos, serão realizados exercícios escritos e orais com o uso de técnicas e instrumentos apresentados em sala de aula. Os textos produzidos serão avaliados coletivamente e publicados em um blog. A ideia é que os alunos escrevam sobre os filmes exibidos no Festival e elejam seus preferidos.

Local: Prédio de Multimeios (Bob Esponja) / Universidade Federal do Espírito Santo – Goiabeiras – Vitória-ES

Data: 14, 15, 16,17 e 18 de novembro de 2016
Horário: das 9 às 13 horas

André Dib

André Dib / Oficineiro

Pesquisador, crítico de cinema e jornalista formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Sua experiência inclui a cobertura de festivais brasileiros e estrangeiros. Tem textos publicados em diversos jornais, revistas e sites. Realiza curadorias para mostras, consultorias para festivais de cinema e é membro da diretoria da Associação Brasileira dos Críticos de Cinema (Abraccine) e do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC).

 A Oficina de Crítica de Cinema com André Dib está com inscrições encerradas. Acesse AQUI a lista dos selecionados.

OFICINAS SAv/Minc / Ufes

Realizadas pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) com o apoio da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC) e com a parceria do Festival de Cinema de Vitória, as oficinas têm uma dinâmica única, desenvolvida por um núcleo coordenador e têm obtido enorme êxito junto a alunos dos festivais onde sido realizadas. As oficinas são conduzidas de forma a apresentar aos participantes os principais conceitos e ferramentas para a escrita de roteiros, direção, produção e finalização de um filme. Estudantes, profissionais e demais interessados com mais de 15 anos podem se inscrever para as oficinas. Fazem parte das Oficinas SAV/Minc/Ufes a Oficina de Cinema e Vídeo e as Oficinas Integradas de Cinema.

 Oficina de Cinema e Vídeo (Oficina SAv/Minc/Ufes)

Com uma carga horária de 40 horas, esta oficina tem o objetivo de instrumentalizar os participantes, técnica e artisticamente, para a realização de um filme de ficção com até 15 minutos. Em aulas práticas e teóricas, os alunos irão vivenciar as diferentes funções distintas desse processo, nos moldes de uma equipe profissional com polivalência de funções. Serão postas em prática noções básicas de dramaturgia cinematográfica, construção do personagem, decupagem (método Gabriel Garcia Marquez), linguagem e nomenclatura dos planos e movimentos de câmera, utilização dramatúrgica das lentes na construção da narrativa, elaboração, exercícios e análise técnica do roteiro, plano de produção etc. Também será trabalhada a inter-relação entre os setores das áreas técnica (Pesquisa, Câmera, Fotografia, Som Direto, Edição, Produção) e artística (Roteiro, Direção, Direção de Arte, Figurino, Direção Musical) na realização de todas as fases de um filme (Pré-produção, Filmagem e Finalização).

Local: Prédio de Multimeios (Bob Esponja) / Universidade Federal do Espírito Santo – Goiabeiras – Vitória-ES

Data e horário: dia 14 de novembro, das 14 às 18 horas, nos dias 15, 16, 17 e 18 novembro, das 9 às 18 horas, e no dia 19 de novembro, das 9 às 13 horas.

André Dib

Luiz Carlos Lacerda / Oficineiro

Cineasta, realizou mais de 30 documentários sobre personalidades da cultura brasileira, entre elas, Cecília Meireles, João da Baiana, Maria Della Costa, Vianinha e Barão de Itararé, além dos longas-metragens “Mãos vazias” (1970), “O princípio do prazer” (1978), “Leila Diniz” (1988), “For all – o trampolim da vitória” (1997), “Viva sapato!” (2004), “Casa 9” (2011), “A mulher de longe” (2012) e “Introdução à música do sangue” (2015). Atuou, através de sua arte, em importantes transformações políticas dos últimos 50 anos, questionando as injustiças sociais e engajando-se explicitamente na luta por um país mais democrático.

As inscrições para a Oficina de Cinema e Vídeo com Luiz Carlos Lacerda estão encerradas.

Veja AQUI  os nomes dos alunos selecionados.

Oficinas Integradas de Cinema: desenvolvidas a partir de uma “escola portátil de cinema”, possibilitarão a realização de quatro curtas-metragens durante o período em que acontece o Festival e têm o objetivo de capacitar tecnicamente os interessados em entrar na cadeia audiovisual a partir de áreas distintas (roteiro, direção, trilha sonora e finalização).

 

1. Oficina de Roteiro (Oficina SAv/Minc / Ufes)

Oficina de Crítica Cinematográfica

A oficina abordará as diferenças entre argumento e roteiro de ficção. Os participantes aprenderão para que serve e como se formata um roteiro, como trabalhar os diálogos e as cenas, como transformar contos e histórias em roteiros, além de vários outros aspectos relacionados à área.

Local: Prédio de Multimeios (Bob Esponja) Universidade Federal do Espírito Santo – Goiabeiras – Vitória-ES
Data: 14 a 18 de novembro de 2016
Horário: das 14 às 18 horas

André Dib

José Roberto Torero / Oficineiro

Escritor, cineasta, roteirista, jornalista e colunista. Formado em Letras e Jornalismo, cursou pós-graduação em Cinema e Roteiro. Torero dirigiu vários filmes e é autor de diversos livros, além de roteiros para cinema e tevê, como do quadro “Retrato Falado”, da Rede Globo. Entre os roteiros de filmes que assina, está o de “Uma História de Futebol”, finalista do Oscar em 2001. Já entre as dezenas de livros publicados, está “O Chalaça”, vencedor do prêmio Jabuti de Romance.

Inscrições Encerradas!

2. Oficina de Direção (Oficina SAv/Minc / Ufes)

Discutirá as funções de um diretor de cinema a partir da análise de filmes de diversos formatos, tais como ficção, docudrama e documentário. Os alunos também terão noções de direção de ator, câmera, som, iluminação e montagem, sempre por meio de exemplos e exercícios práticos. Também será abordado o cinema nas novas mídias: internet, webTV, smartfones etc; além da questão da imagem no universo audiovisual a partir de exemplos diversos. Será oferecido, ainda, suporte para a realização dos exercícios práticos na integração das oficinas.

Local:  Prédio de Multimeios (Bob Esponja) / Universidade Federal do Espírito Santo – Goiabeiras – Vitória-ES

Data e horários: dias 15, 16, 17 e 18 de novembro, das 14 às 18 horas, e no dia 19 de novembro das 9 às 13 horas, na Ufes.

André Dib

Jorge Bodanzky / Oficineiro

Formado em Cinema pela Escola de Design de Ulm, na Alemanha. Iniciou sua carreira como fotógrafo, e sua estreia como diretor de cinema aconteceu na década de 1970, com “Iracema – uma transa amazônica”, documentário ficcional e um dos filmes brasileiros mais premiados da década em festivais nacionais e internacionais. Possui uma sólida carreira, que inclui mais de 10 longas-metragens e dezenas de documentários para as TVs brasileira, alemã, francesa e italiana, como diretor, fotógrafo e produtor.

Inscrições Encerradas!

3. Oficina de Trilha Sonora (Oficina SAv/Minc / Ufes)

Oficina de Crítica Cinematográfica

A oficina discutirá as relações entre música e imagem visual narrativa, abordando tópicos como a relação diretor/compositor; história da música no cinema, do cinema mudo aos dias de hoje; música no cinema documental e ficcional; formatos em curta, média e longa metragem; e interfaces narrativas entre as duas linguagens artísticas – a Música e o Cinema. Também serão abordadas as novas mídias, como Internet e Games.

IMPORTANTE: a Oficina de Trilha Sonora é voltada para músicos com experiência e formação musical mínima, cada aluno deverá levar o seu próprio instrumento musical para a Oficina.

 

 

Local:  Prédio de Multimeios (Bob Esponja) / Universidade Federal do Espírito Santo – Goiabeiras – Vitória-ES

Data e horários: dias 15, 16, 17 e 18 de novembro, das 14 às 18 horas, e no dia 19 de novembro das 9 às 13 horas, na Ufes.

André Dib

David Tygel / Oficineiro

Músico, cantor, compositor, arranjador e professor da matéria de Trilha Sonora para o Cinema em diversas universidades do país e fora dele, em cursos na PUC-Rio, no Conservatório Brasileiro de Música, na EICTV de Cuba, no Instituto M_EIA de Cabo Verde, entre outras dezenas de instituições em praticamente todos os estados brasileiros, David é, ainda, fundador e integrante do grupo Boca Livre, ganhador de cinco Kikitos de Trilha Sonora de Gramado, entre outros prêmios, inclusive internacionais, como em Gijón, na Espanha. Trabalhou em diversos filmes, como “O Homem Nu”, de Hugo Carvana; “O Homem da Capa Preta”, de Sergio Rezende; “Dois Perdidos Numa Noite Suja”, de José Joffily; “Leila Diniz”, de Luiz Carlos Lacerda e Buza Ferraz, entre vários outros.

Inscrições Encerradas!

4. Oficina de Finalização Digital (Oficina SAv/Minc / Ufes)

Serão abordadas as técnicas de edição, finalização e masterização no ambiente digital. O curso é aberto a todos os interessados, não sendo necessários conhecimentos prévios. Durante os dias da oficina, os alunos deverão montar filmes de curta-metragem, trabalhando desde o estudo do roteiro, à preparação e conformação do material bruto para edição, até a realização do filme finalizado. O objetivo é que, a partir desse primeiro contato com as ferramentas de pós-produção, os alunos possam ter autonomia para edição e finalização de seus próprios projetos.

Local:  Prédio de Multimeios (Bob Esponja) / Universidade Federal do Espírito Santo – Goiabeiras – Vitória-ES

Data e horários: dias 15, 16, 17 e 18 de novembro, das 14 às 18 horas, e no dia 19 de novembro das 9 às 13 horas, na Ufes.

André Dib

Bruna Callegari / Oficineira

Historiadora formada pela USP e jornalista pela PUC-SP, Bruna trabalha com cinema, vídeo e fotografia desde 2005. Fez pesquisas para documentários e atuou como assistente de edição e editora em diversas produtoras, como Tatu Filmes, Cine Solar, Módulos, e Heco Produções. Montou e coordenou a finalização do longa-metragem em 35 mm “Mamonas pra sempre”, de Cláudio Kahns, com o qual concorreu ao prêmio de Melhor Montagem no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2012. Fez, ainda, assistência de montagem e finalizou o longa-documentário “Eu, Eu, Eu José Lewgoy”, do mesmo diretor, e, recentemente, participou de “O Cinema de Ozualdo Candeias”, de Eugênio Puppo.

Inscrições Encerradas!